quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Os Astecas

Curiosidades sobre os astecas:

Esporte: Tudo o que os astecas fazem tem um fundo religioso, incluindo os esportes. O jogo mais popular é o tlachtli, no qual os atletas têm de fazer uma bola de borracha passar por um aro num dos lados do campo. Quem perde pode ir para o sacrifício, literalmente. Professores: Os sacerdotes lecionam nos calmecac, as escolas astecas de história, religião, artes de guerra, matemática, medicina, astrologia e direito. São ainda os escribas e astrônomos. Mas sua principal atividade é, claro, religiosa: eles fiscalizam se as cerimônias são feitas como os deuses mandam, interpretam os sinais da natureza e comandam os rituais de sacrifício. Pais e filhos: Os homens passam o dia fora e as mulheres cuidam das casas, costuram e educam os filhos. Varrer é uma obrigação religiosa, pois ajuda os deuses a purificar o mundo. As meninas aprendem isso aos 13 anos. Já os meninos ajudam o pai a pescar. Quem não se comporta é castigado: crianças desobedientes podem ser flechadas e até atiradas ao fogo. Classes sociais: Chamados de tlacotin, o trabalho escravo é uma forma de pagar impostos. Ser escravo é também a punição para criminosos. Acima dos escravos vêm os camponeses, ou macehualltin, as famílias pobres que produzem comida para os nobres (os pipiltin) e constroem templos e estradas. Dinheiro e chocolate: Os astecas adoram fazer compras. Todos os dias, cerca de 60 mil pessoas vão ao mercado de Tlatelolco. Nele, legumes, carnes, ouro e escravos estão à venda. O dinheiro usado é o grão de cacau, tão valioso que circulam “moedas” falsas, feitas de farinha. Apenas os nobres bebem uma infusão de grão de cacau com mel, chamada chocolate. Religião: Um dos tipos de Cerimônia de Sacrifício Humano era: o mais bravo dos prisioneiros de guerra era sacrificado a cada ano. No dia de sua morte, ele tocava flauta no cortejo. Sacerdotes e quatro belas moças acompanhavam-no. Montezuma é deus: O líder asteca na época da chegada dos espanhóis é Montezuma II, o tlatoani, uma espécie de deus na Terra. Ele passa a maior parte do tempo na piscina do castelo. Quando é visitado por nobres, exige que tirem suas roupas finas e seus sapatos e usem mantas baratas. Além disso, proíbem que o olhem nos olhos e que lhe dêem as costas. Para sair de sua presença, só andando de marcha à ré. Objetos de desejo: Ouro e prata não são usados como moeda, mas como objetos de devoção – estão em todas as imagens de deuses da cidade. Também compõem as jóias usadas pelos nobres nos lábios, no nariz e nas orelhas. Esses enfeites têm pedras preciosas e penas – estas têm tanta importância nas roupas que a indústria de penas é uma das maiores da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário